top of page

Benefícios do ensino do ultrassom POCUS em simuladores de treinamento



A ultrassonografia point-of-care (POCUS) surgiu como uma ferramenta importante na prática médica contemporânea, permitindo diagnósticos rápidos e precisos à beira do leito. A eficácia do POCUS, no entanto, depende do treinamento adequado e da habilidade do profissional em manusear o equipamento e interpretar as imagens geradas.

 

Nesse cenário, a utilização de simuladores tem se destacado como uma solução eficaz para aprimorar o ensino e a prática de ultrassonografia, trazendo benefícios tanto para alunos de medicina quanto para profissionais já atuantes na área. Continue a leitura deste conteúdo para entender melhor sobre o ultrassom POCUS.

 

O que é o ultrassom POCUS?

 

O ultrassom point-of-care (POCUS) é uma modalidade de ultrassonografia realizada à beira do leito do paciente, diretamente pelo médico responsável pelo atendimento, visando fornecer diagnósticos rápidos e facilitar a tomada de decisões clínicas em tempo real.

 

Diferente da ultrassonografia tradicional, o POCUS é integrado ao exame clínico do paciente e pode ser usado em diversos cenários clínicos, como emergências, unidades de terapia intensiva e consultas ambulatoriais. Os aparelhos de ultrassom POCUS são compactos, portáteis e frequentemente móveis, permitindo sua utilização em diferentes locais em uma unidade de saúde ou em situações fora do ambiente hospitalar.

 

A principal vantagem do POCUS é a capacidade de fornecer imagens diagnósticas em tempo real, auxiliando na rápida identificação de condições críticas e na decisão imediata sobre intervenções terapêuticas. O POCUS também pode ser utilizado para uma ampla gama de avaliações, incluindo:

 

●     Avaliação da função cardíaca;

●     Identificação de pneumotórax, derrames pleurais, congestão pulmonar e outras patologias respiratórias;

●     Avaliação de fluidos livres na cavidade abdominal, detecção de aneurismas de aorta, cálculos biliares, entre outros;

●     Guiar procedimentos como punções, inserção de cateteres venosos centrais e identificação de trombose venosa profunda;

●     Avaliação de lesões musculares, articulações e estruturas superficiais.

 

A implementação do POCUS no currículo médico tem se mostrado eficaz na educação de estudantes de medicina e residentes, proporcionando uma experiência prática e direta com a anatomia e fisiologia em tempo real. Seus benefícios incluem a redução do tempo entre a suspeita clínica e o diagnóstico, permitindo intervenções mais rápidas; a melhora da precisão diagnóstica ao complementar o exame físico com imagens diretas; a minimização da necessidade de procedimentos invasivos diagnósticos ao fornecer informações detalhadas não invasivas; e a redução de custos associados às transferências de pacientes e a necessidade de exames adicionais.

 

Benefícios dos simuladores no ensino do POCUS

 

Os simuladores para treinamento médico oferecem um ambiente seguro e controlado para a prática de habilidades clínicas essenciais. Eles permitem que os estudantes e profissionais de saúde pratiquem procedimentos complexos e melhorem suas competências minimizando a exposição dos pacientes ao risco. Essa prática intensiva auxilia na aquisição de habilidades motoras finas e para a memorização de etapas críticas, aumentando a autoconfiança e a eficiência durante a prática clínica real.

 

Os simuladores possibilitam a repetição ilimitada de procedimentos, um aspecto crucial para o domínio de qualquer habilidade médica. A prática repetitiva ajuda a internalizar os processos, reduzindo a ansiedade e melhorando a precisão e a rapidez na execução dos exames de ultrassonografia. Essa repetição controlada é particularmente útil em procedimentos invasivos, onde a margem para erro deve ser mínima.

 

A literatura científica destaca que os simuladores de POCUS são ferramentas educacionais que melhoram a compreensão da anatomia e as habilidades de exame físico dos alunos. Alguns estudos demonstram que os alunos que utilizam simuladores apresentam uma melhora significativa nas notas de exames práticos e visuais. A visualização tridimensional da anatomia permite uma compreensão mais profunda das estruturas corporais, facilitando a aprendizagem e a retenção do conhecimento.

 

Outro benefício importante dos simuladores é a avaliação objetiva e quantificável das habilidades dos alunos. Currículos baseados em simulação permitem que os instrutores avaliem o progresso dos estudantes de forma precisa e consistente. Isso é possível graças à padronização dos cenários clínicos simulados, que garantem que todos os alunos sejam avaliados sob as mesmas condições. Essa objetividade ajuda a identificar áreas que necessitam de melhoria e para garantir que todos os alunos atinjam um nível de competência adequado antes de interagir com pacientes reais.

 

Integração do ultrassom POCUS no currículo médico

 

A integração da prática simulada no currículo médico tem se mostrado uma estratégia eficaz para melhorar a educação em POCUS. Diversas universidades ao redor do mundo já adotaram o uso de simuladores em seus programas de ensino. A University of Alabama School of Medicine, por exemplo, relatou que seus alunos demonstraram proficiência significativa em técnicas guiadas por ultrassonografia após sessões práticas com simuladores. No Imperial College London, 85% dos alunos sem treinamento formal prévio em ultrassonografia foram capazes de realizar varreduras completas com um nível adequado de desempenho após um curso teórico-prático de apenas cinco horas.

 

A incorporação precoce da técnica POCUS no currículo médico, desde os primeiros anos da faculdade, tem mostrado benefícios substanciais. Ao complementar o aprendizado de anatomia e aprimorar as habilidades de exame físico desde o início, os simuladores ajudam a formar médicos mais preparados e confiantes. Na Universidade de Nova Iorque, o currículo de POCUS abrange estudantes de medicina em rotação na medicina de emergência, os quais relataram aumento da confiança e do interesse em aprender ultrassonografia após o curso[1] [2] .

 

Desafios e recomendações para a prática médica

 

Uma das limitações é o tempo, que nos currículos médicos já sobrecarregados pode dificultar a inclusão de sessões práticas adicionais. No entanto, as vantagens de um treinamento eficiente e seguro superam esses desafios. Equipamentos adequados e pessoal suficiente são necessários para integrar com sucesso o ensino de ultrassonografia no currículo de graduação.

 

A utilização de recursos como módulos online e estudos autodirigidos também podem complementar o treinamento prático, oferecendo flexibilidade aos alunos e permitindo uma aprendizagem personalizada, com a utilização de simuladores.

 

Benefícios dos simuladores Gphantom no POCUS

 

Os simuladores auxiliam o treinamento médico em POCUS, proporcionando um ambiente seguro e eficiente para a prática de habilidades essenciais. Ao permitir que profissionais da saúde aprimorem suas competências de forma exaustiva e realista, esses simuladores contribuem para a formação de médicos mais competentes.

 

O modelo Gphantom NAV é equipado com dois conjuntos de nervo-artéria-veia, dispostos em diferentes profundidades, auxiliando no treinamento de procedimentos médicos que utilizam a modalidade ultrassonográfica POCUS. Outro exemplo de simulador indicado para o treinamento do POCUS é o Gphantom 5 vias, que possui cinco estruturas, que simulam veias e artérias, combinadas conforme a necessidade prática.

 

Com a constante evolução da tecnologia e a crescente utilização dos simuladores no treinamento médico, espera-se que a prática utilizando o POCUS se torne cada vez mais eficiente e acessível.

 

Investir na formação médica adequada e contínua é fundamental para garantir um futuro com excelência no atendimento, beneficiando os profissionais e os pacientes. Acesse agora a nossa loja virtual e adquira seu simulador Gphantom para contribuir diretamente para a melhoria dos cuidados dos seus pacientes.

 

Gphantom: aprenda, pratique, primore.

 

Referências

 

Mota GA, Nobre GM, Meira ML, Oliveira MR, Meira Júnior LE. Ensino da ultrassonografia point-of-care na graduação médica. JBMEDE. 2022;2(3). DOI: 10.54143/jbmede.v2i3.57.

 

Gilbertson EA, Hatton ND, Ryan JJ. Point of care ultrasound: the next evolution of medical education. Ann Transl Med. 2020 Jul;8(14):846. doi: 10.21037/atm.2020.04.41. PMID: 32793690; PMCID: PMC7396781.

 

Blake Holloway W 2nd, Grove J, Tyson A, Rochford L, Day L, Resuehr D. Utilization of a Co-enrolled Course Structure for Point-of-Care Ultrasound Training in the Undergraduate Medical Education Setting. Med Sci Educ. 2020 Jan 6;30(1):31-39. doi: 10.1007/s40670-019-00831-0. PMID: 34457633; PMCID: PMC8368844.

 

Gogalniceanu P, Sheena Y, Kashef E, Purkayastha S, Darzi A, Paraskeva P. Is basic emergency ultrasound training feasible as part of standard undergraduate medical education? J Surg Educ. 2010 May-Jun;67(3):152-6. doi: 10.1016/j.jsurg.2010.02.008. PMID: 20630425.

 

Blackstock U, Munson J, Szyld D. Bedside ultrasound curriculum for medical students: report of a blended learning curriculum implementation and validation. J Clin Ultrasound. 2015 Mar;43(3):139-44. doi: 10.1002/jcu.22224. Epub 2014 Aug 14. PMID: 25123564.

 

Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem. CBR participou de reunião entre Câmaras Técnicas do CFM com outras sociedades médicas para debater e normatizar o Ultrassom Point of Care (POCUS). Disponível em: https://cbr.org.br/cbr-participou-de-reuniao-no-cfm-para-debater-o-pocus/. Acesso em: 18/06/2024.


39 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page